Conecte-se Conosco
Posted on: 16 de mai de 2018

De Olho Na Internet Dos Nossos Filhos

Quando você está indo dar um passeio com seus filhos, e eles ficam colados no celular, alguma vez você já se perguntou sobre o que eles estão conversando ou se eles estão se "comportando" online? Todos sabemos que nossos filhos estão se comunicando de forma muito diferente do que fazíamos quando tínhamos suas idades. Twitter, Facebook, gifs, memes e o Whatsapp tomaram o lugar de conversas cara a cara. O desafio para os pais é que as regras de etiqueta que vieram com a escrita de uma carta ou falar com um amigo no almoço não acompanharam o novo estilo de comunicação. Sabemos que a comunicação eletrônica está aqui para ficar, então é importante que os pais se envolvam. Confira estas dicas do nosso blog convidado The Safety Mom para ajudar você a se preocupar menos.

Children With Computer

Uma vez, um pai me disse que sua filha nunca falava com ele. Perguntei se ele conversava com ela por mensagem de texto e ele olhou para mim como se eu estivesse louca. Pedi que ele tentasse e, com certeza, dentro de pouco tempo, conversassem e desenvolvessem um relacionamento mais próximo.

A maneira como os nossos filhos se comunicam é drasticamente diferente do que nós fazíamos quando tinhamos essa idade. Para aqueles de nós que têm adolescentes ou usam redes sociais regularmente, sabemos as diversas formas que temos para "conversar" com outras pessoas por meio de textos, mensagens instantâneas ou fotos. Muitas vezes digo ao meu marido que "falei" com um amigo que para mim significa que trocamos mensagem. E ele simplesmente não entende!

O problema é que existem poucas regras de engajamento quando você se comunica eletronicamente. Você não pode determinar o tom ou a inferência e o que pode ser um comentário inocente pode estimular um grande argumento. Não há dúvida de que as mídias sociais e a comunicação eletrônica estão aqui para ficar, então é importante ensinar a seus filhos uma comunicação apropriada.

1) Cadastre-se

Se você não está seguindo seus filhos nas mídias sociais, agora é a hora de começar. Primeiro, você poderá aprender com eles, e também saber quais seus interesses e por que eles têm um Facebook, ou o Instagram. Mais importante ainda, você poderá ver o que está acontecendo com seus grupos de amigos e quem está sendo excluído. Comentários sobre a aparência de uma pessoa, a sexualidade ou até mesmo uma crítica sutil podem levar a centenas de retransmissões e podem destruir alguém. O ciberbullying tornou-se uma verdadeira epidemia e é diretamente atribuível a muitos casos de suicídio e violência. Não só é importante ensinar seus filhos a não publicarem coisas negativas, mas também não reenviar ou compartilhar algo que alguém postou que poderia ser prejudicial. Além disso, se eles vêem uma postagem potencialmente ameaçadora ou preocupante, devem denunciá-la imediatamente ao funcionário da escola ou aos pais.

2) Uma imagem fala mais que mil palavras

Você sabe de todas as selfies que sua filha está postando? Ela não está sozinha. Nossos filhos falam em imagens agora e relatam todos os momentos de suas vidas. Infelizmente, o que eles ainda não percebem (juntamente com alguns políticos, treinadores e outros adultos) é que qualquer coisa que apareça pode ser encontrada e nunca mais vai embora. Os empregadores e os oficiais de admissão de faculdades estão examinando rotineiramente as páginas do Facebook dos candidatos e os feeds do Instagram para ter uma ideia da pessoa. As ofertas de admissão foram rescindidas devido a fotos bêbadas e semi-nuas que foram descobertas. Conversem com seus filhos - se eles não podem mostrar aos pais uma foto, não deve estar postando-a nas mídias sociais!

3) Saiba quem são seus amigos

On-line, todos são amigos. As duas amigas de sua filha, foram ao acampamento de verão, e encontraram com outras vinte crianças ao redor do país que nunca conheceram (na vida real). Não há consideração para quem essas pessoas podem levar a situações perigosas. Um estudo recente descobriu que 69% dos adolescentes regularmente recebem mensagens pessoais on-line de pessoas que não conhecem e quase um terço dizem que geralmente respondem e conversam. Os adolescentes também estão tornando incrivelmente fácil aprender detalhes pessoais - 64% postam fotos ou vídeos de si mesmos, enquanto mais de metade (58%) publicam informações sobre onde moram. Regularmente, analise quem os segue no Instagram e verifique se eles têm sua conta marcada como privada para que eles não possam ser seguidos sem serem aceitos.

Tem mais dicas de como proteger nossos filhos do universo da internet? Compartilhe conosco em nossa página do Facebook!